12/02/2020

A melhor bebida para quem tem menos de dois anos

Ele é rico em água, vitaminas, proteínas e gorduras. Reduz a mortalidade, previne o aparecimento de doenças e garante mais saúde e bem-estar. Não estamos falando de uma bebida especial recém-lançada no mercado, mas sim de um velho conhecido: o leite materno.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a amamentação ajuda a reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos, além de trazer diversos benefícios para os pequenos e para as mamães. Não é à toa que a recomendação é alimentar os bebês exclusivamente com leite materno até o sexto mês de vida. O consumo do leite materno é indicado para crianças com até dois anos de idade. Quer descobrir como ele ajuda no desenvolvimento infantil? Confira abaixo!

Fortalece os pulmões e previne cólicas

Os movimentos exigidos dos bebês na hora de mamar acabam fortalecendo seus pulmões e vias respiratórias. Assim, são evitados problemas como chiados no peito, surgimento de catarro e até mesmo bronquite.

As cólicas também ficam longe dos recém-nascidos graças à amamentação, uma vez que as proteínas do leite materno – as globulinas –, são mais fáceis de serem ingeridas e não fermentam da mesma forma que as proteínas de outros leites. A ingestão de ar, fator que também contribui para a ocorrência de cólicas, ainda é evitada no momento da sucção.

Desenvolve a imunidade

Graças às suas células de defesa e fatores anti-infecciosos, o leite materno fortalece o sistema imunológico do recém-nascido e o protege contra os diversos tipos de infecções dos primeiros meses de vida. É o caso de doenças respiratórias, otite, gastroenterites e infecções urinárias. As pesquisas apontam também que a amamentação previne o surgimento de doenças mais sérias, desde diabetes e leucemia até dermatite e asma.

Previne alergias

Que o leite materno é importante, isso todo mundo sabe. Mas, afinal, por que o leite de vaca ou os artificiais não são indicados nos primeiros anos de vida? O motivo é simples: eles contêm componentes estranhos ao organismo dos bebês, como ferro, o que pode causar diversas alergias, como sinusite, bronquite, rinite, dermatite, amigdalite e alergias intestinais. Assim o leite materno ajuda justamente a prevenir esses tipos de alergias.

Garante o desenvolvimento cognitivo

Você sabia que o leite humano conta com ácidos graxos poli-insaturados, que ajudam a formar neurônios e favorecem as sinapses nervosas? Por isso você já pode imaginar o quanto essa gordura é essencial para a formação do cérebro da criança, além de desenvolver o raciocínio lógico e o vocabulário do bebê.