14/09/2020

As principais causas e tratamentos para os 4 tipos de dor de cabeça. Saiba mais!

Uma maneira simples de diferenciar essas condições é conhecer e observar os sintomas que aparecem durante as crises. Que tal começar descobrindo conosco? Acompanhe agora as características, as causas e os tratamentos indicados para diferentes dores.

1. Enxaqueca

A pessoa que sofre com esse problema tende a sentir uma espécie de pulsação dentro do crânio, como um coração batendo. O quadro ocorre por conta de estresse, privação de sono, ingestão excessiva de álcool, mudança brusca de temperatura, alterações hormonais, jejum prolongado e cansaço.

O desconforto costuma surgir apenas em um lado da cabeça, principalmente na parte da testa e região das têmporas, mas pode ser bilateral. A intensidade da dor varia bastante e gera outros sintomas, como:

  • náuseas;
  • sensibilidade à luz;
  • baixa tolerância a ruídos.

Considerando as causas, o tratamento pode incluir desde uma boa noite de sono até a prática diária de atividades relaxantes, como ioga ou meditação. No entanto, é crucial buscar ajuda especializada ao perceber sinais mais graves, como perda de apetite e vômito.

2. Cefaleia tensional

Também conhecida como tensão, é um dos tipos de dor de cabeça mais comuns. A pessoa sente como se estivesse usando uma faixa bem apertada na altura das têmporas. Tem as mesmas causas da enxaqueca, podendo resultar, também, de problemas oftalmológicos, contato com cheiros fortes e abuso de alimentos estimulantes.

A condição é caracterizada, principalmente, pela sensação de peso ou aperto na região da testanuca ou topo da cabeça. Também é possível perceber os músculos do pescoço contraídos, o que gera desconforto de intensidade leve à moderada.

O melhor tratamento para esse tipo de dor de cabeça é adotar hábitos saudáveis: dormir bem, comer alimentos variados, manter uma boa postura e praticar atividades físicas para relaxar o corpo e a mente.

3. Cefaleia em salvas

Ao contrário da tensão, que é bilateral, a cefaleia em salvas envolve dor pulsátil muito forte em um só lado da cabeça. O desconforto se concentra na região têmporo-frontal e no fundo do olho. Suas principais causas incluem uso excessivo de tabaco e de bebidas alcoólicas.

Veja outros sintomas que costumam acompanhar o problema:

  • fobia à luz, barulho e odores;
  • queda da pálpebra;
  • obstrução nasal;
  • suor na face;
  • congestão ocular (olhos vermelhos e lacrimejantes).

A melhor forma de evitar cefaleia em salvas é reduzir ou restringir o consumo de drogas como álcool e cigarro. Nos casos em que passa a ser recorrente, afetando a rotina, pode ser necessária a consulta com um neurologista que investigue o problema a fundo e recomende medicamentos para alívio da dor.

4. Sinusite

Essa dor pode atingir apenas um lado ou toda a parte frontal da face. É comum senti-la na testa e abaixo dos olhos, mas o desconforto pode se estender ao nariz e aos ouvidos. Também tende a vir acompanhado de coriza, perda do olfato e congestão nasal.

Todos são sintomas resultantes da inflamação da mucosa dos seios da face, que acontece quando há uma infecção, quadro alérgico ou outra condição que prejudica a correta drenagem de secreção. O tratamento pode incluir uso de antibiótico, solução salina, corticoide nasal e descongestionante.

Como pôde ver, há diferenças importantes entre as dores mais comuns, e conhecê-las é crucial para evitar preocupações constantes em relação à própria saúde. Com essas informações, você saberá quais pontos merecem atenção ao procurar um médico para relatar o problema.

Vale lembrar que a prevenção é o melhor remédio para todos os tipos de dor de cabeça, portanto, não deixe de fazer suas consultas regularmente. Alie a manutenção dos exames a uma rotina equilibrada e você terá dias cada vez mais leves.

Você já conhece o Instituto Cemig Saúde? Acesse a plataforma, conheça mais sobre o PSI e ganhe prêmios: instituto.cemigsaude.org.br