16/09/2020

Setembro amarelo: mês da valorização e prevenção da vida

Falar sobre cuidados com a saúde é sempre necessário, inclusive quando se trata de saúde mental. Neste momento em que estamos fragilizados devido à pandemia de Covid-19, isso é ainda mais importante – daí a necessidade de todos voltarmos nosso olhar à campanha Setembro Amarelo.

Criada em 2014 pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), a iniciativa promove a discussão e a reflexão de questões relacionadas à saúde mental e à prevenção contra o suicídio ao longo de todo o mês de setembro.

Nesse momento, o apoio de toda a sociedade é imprescindível, pois temas relacionados à saúde mental ainda são muito estigmatizados na sociedade, sendo associados à fragilidade, falta de ocupação ou carência. No entanto, a depressão e outros distúrbios psiquiátricos também são uma doença e precisam de cuidado.

Quando uma pessoa se sente envergonhada, excluída ou discriminada ao falar sobre seus problemas, ela encontra dificuldade em buscar ajuda qualificada, o que impede tanto o diagnóstico quanto o tratamento. Portanto, todos devem fazer a sua parte em prol do Setembro Amarelo.

Quais os principais sinais de que há algo errado?

Apenas palavras não bastam quando o assunto é a prevenção da vida e a promoção da saúde mental. Não é à toa que, em 2020, a campanha Setembro Amarelo tem o tema “Não basta falar, é preciso agir!”. Além de discutir e refletir sobre o tema, também é essencial que todos coloquem em prática ações para garantir a assistência necessária a seus amigos e familiares que estejam sofrendo com esse tipo de distúrbio.

O primeiro passo é entender quais são os principais sintomas da depressão e de outros problemas emocionais. Conheça quais são eles:
• Tristeza;
• Mudança de apetite;
• Insônia;
• Sono em excesso;
• Perda de interesse em atividades que antes a pessoa apreciava;
• Ganho ou perda de peso;
• Perda de energia;
• Baixa autoestima;
• Sensação de medo, culpa e desesperança;
• Dificuldade de raciocínio e concentração;
• Pensamentos de morte ou suicídio.

Se você perceber que algum ente querido está apresentando um desses sinais, é hora de agir. Converse com a pessoa, pratique a escuta ativa e incentive-a a buscar ajuda, sem nunca condenar, julgar ou dar sermão sobre a situação. O tratamento de problemas emocionais pode ser feito apenas por meio do contato com um psicólogo, mas em alguns casos o uso de medicamentos também é necessário.

Como a Cemig Saúde pode ajudar você?

Aqui na Cemig Saúde, os beneficiários recebem todo o cuidado necessário para cuidar de sua saúde mental. Além de contar com uma ampla rede de psicólogos conveniados ao plano de saúde, você também pode recorrer aos psicólogos de nossas clínicas de Atenção Primária à Saúde (APS), localizadas em Belo Horizonte (nos bairros Barro Preto e Santo Agostinho) e em Uberlândia (no bairro Martins).

“Todas as clínicas da Cemig Saúde oferecem o serviço de um psicólogo. Afinal, nosso modelo de cuidado, o Conexão Saúde, é baseado na Atenção Primária e conta com uma equipe de saúde básica, formada por médico, enfermeiro e psicólogo”, conta a psicóloga do Conexão Saúde Adriana Quintão.

Neste ano, a Operadora também disponibilizou aos beneficiários a plataforma Psicologia Viva, que oferece serviços psicológicos online por videoconferência. A partir de agora, você pode se conectar com um psicólogo a qualquer momento, seja onde estiver, e fazer terapia no conforto do próprio lar. O serviço ainda é 24h, o que confere um diferencial no caso de uma situação de emergência, como durante uma crise de ansiedade, por exemplo.

Adriana Quintão reforça a importância de procurar ajuda quando a pessoa não se sente psicologicamente bem. “Se uma pessoa se sentir angustiada e depressiva, é muito importante que ela procure ajuda profissional. Nesse momento, ela pode entrar em contato presencialmente com os psicólogos do Conexão Saúde, com os psicólogos conveniados à Cemig Saúde ou acessar a plataforma Psicologia Viva de maneira simples e fácil, pelo celular, tablet ou computador”, incentiva a psicóloga Adriana. Outro contato útil é o Centro de Valorização da Vida (CVV), associação que pode ser contatada pelo número 141 ou pelo site www.cvv.org.br.

Se você ou algum ente querido estiver passando por um momento difícil, não se esqueça: fale sobre o assunto, busque ajuda e conte com a Cemig Saúde para receber todo o cuidado que sua saúde mental precisa!