09/08/2016

Tire dúvidas sobre aleitamento materno

A Semana Mundial do Aleitamento Materno ocorre em mais de 170 países. Promovida anualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ela tem como objetivo estimular a amamentação e melhorar a saúde de crianças ao redor do mundo. Segundo o professor e doutor Corintio Mariani Neto, dados disponíveis no Ministério da Saúde em relação ao aleitamento exclusivo apontam que a média nacional é de 60% no fim do primeiro mês, 25% ao completar quatro meses e em torno de 10% com seis meses completos. Embora dados mostrem aumento da porcentagem nos últimos anos, o ideal é atingir próximo de 100% até o final do 6º mês. O médico reforça que ainda há muito a fazer para que se chegue cada vez mais perto do ideal. Veja as respostas dele sobre a questão:  

Quais as principais preocupações no momento de amamentar?

As mamães precisam estar muito atentas aos conflitos emocionais e conversar bastante com o obstetra para esclarecer todas as dúvidas e eliminar fatores de ansiedade. Ao mesmo tempo em que a mãe deseja muito amamentar seu bebê, ela tem muito medo de não produzir leite em quantidade suficiente ou que ele seja fraco e, ainda, que o bebê não queira mamar no peito.

Quais alimentos podem ser inseridos e quais devem ser evitados?

Dieta balanceada e constituída por verduras, cereais e frutas. Durante a amamentação, sugere-se moderação de alguns produtos que podem provocar alergias ou mesmo gases e cólicas intestinais na criança, tais como leite de vaca, amendoim, frutas secas, soja, café, chocolate, refrigerantes, chá-preto, mate, feijão, repolho e batata-doce. Importante beber bastante líquido, pelo menos dois litros por dia, especialmente água natural.  

O que a mãe pode fazer para o leite não secar?

Quanto mais a criança suga o peito materno, mais leite é produzido. O que ocorre com muita frequência é que, por falta de conhecimento ou orientação incorreta, a mãe complementa a alimentação da criança com fórmula artificial, por meio de mamadeira. Essa introdução precoce do bico artificial pode levar o bebê a recusar o peito, fazendo com que o leite diminua progressivamente.

Fonte: Saúde Plena